Casarão Amália Noll – 2015

Projeto de restauro do Casarão Amália Noll, localizado no município de Feliz/RS. Construído no final do século XIX por Jacob Ruschel, filho do primeiro imigrante alemão da então localidade de Picada Feliz, o Casarão é um dos prédios mais antigos da cidade e foi tombado como patrimônio histórico, artístico e cultural do município. 

Trata-se de um conjunto histórico que consiste em três blocos compostos por edificações que, com suas características ecléticas, formam um arquitetura rara do patrimônio gaúcho. O conjunto mescla áreas de enxaimel, pedra bruta, alvenaria de tijolos maciço e colonial português. Elementos da imigração italiana também se misturam aos traços portugueses e alemães, uma vez que, no jardim do casarão, um pé de videira centenário teria sido a matriz dos parreirais implantados no distrito de Nova Milano por um dos primeiros imigrantes italianos do Rio Grande do Sul. 

Nosso projeto arquitetônico de restauração buscou valorizar essas características tão marcantes, em um processo de restauro que será executado em etapas. Primeiramente, será restaurada a edificação que se encontra em estado mais precário. A proposta visa desenvolver neste primeiro módulo uma experiência ímpar aos usuários que frequentarão o local. O projeto vai além da edificação, contemplará o resgate das memórias que tanto há presente nesta edificação.

Através da história recontada que será fixada em suas altas e generosas paredes de pé direito duplo, será executada uma passarela que remeterá ao pavimento superior que ali existia. Por meio destas plataformas metálicas suspensas, será possível aos visitantes apreciar o alto das paredes e seu padrão construtivo, bem como a exposição de peças raras. Para as próximas etapas, o projeto arquitetônico de restauração tem a previsão de construção de salas multiuso para atender a mais diversas atividades culturais do município. Uma novidade será o retorno da sala de cinema do casarão, que já existia quando o local era uma residência.

O projeto deve contribuir para a valorização cultural da região, unindo a preservação do patrimônio histórico à mobilização artística e turística no município. Além de todos os elementos únicos que formam o casarão, a iniciativa deve também revificar um espaço cultural especial para a história da região. Isso porque a residência de Amália Noll, que passou para o imaginário popular de Feliz como uma mulher arrojada, que trocou casamento e filhos pelo empreendedorismo, era uma casa cheia de cultura, com salão de baile, cinema e fotografia, expressão pela qual era apaixonada.

Este projeto foi tema de artigo científico, selecionado para participação no Congresso Rehabend 2016 (6th Euro-American Congress Construction Pathology, Rehabilitation Technology and Heritage Management), dentro do eixo temático ” Examples of intervention “, com o título ” Casarão Amália Noll: um mosaico arquitetônico da imigração no sul do Brasil”.

previous arrow
next arrow
Slider


Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Back To Top